domingo, 16 de abril de 2017

[Livro que virou Filme] O Amor vem Devagar

Olá!
Hoje eu fui a louca que acordou as 4:30h da manhã e foi pra sala pra chamar o sono. E ele veio? Não! Ele não veio!
Então eu fiz duas coisas: mexi no Youtube e assisti a um filme (no próprio Youtube!).
Agora que parei para escrever, percebi que hoje é Páscoa, então: FELIZ PÁSCOA!!!!! O que é interessante, pois o filme que assisti é considerado um filme cristão. É um romance baseado na construção do amor no dia a dia, fala-se sobre fé em Deus, como aguentar os problemas da vida. É aquele filme que você pode assistir tranquilo com a família e crianças, pois não há cenas picantes. Dose certa de drama, romance e humor.
A história inicia com o casal Aaron e Marty Claridge mudando de cidade para iniciar uma nova vida, afinal são recém casados. O ano é 1800, na época do Velho Oeste. Eles estão felizes e em um acidente de cavalo, Aaron acaba morrendo.
Marty se vê sozinha e deve tomar uma decisão do que fazer de sua vida. No enterro de seu marido aparece Clark Davis, um morador local que lhe propõe casamento. Ele é um viúvo com uma filha pequena, chamada Missie já uma garotinha bem madura para a idade. Clark quer que a filha tenha uma influência feminina e promete a ela que dali a exatamente um ano - no início da próxima primavera - ele compra uma passagem para ela voltar a sua terra. E assim inicia-se a história deles. Missie e Marty não se dão bem. Clark respeita Marty e os três começam a ter suas cicatrizes curadas.
Marty é apaixonante. Ela faz o primeiro marido levar na carroça todos os livros dela. São inúmeros! Eles têm mais livros do que comida. rs
A primeira vez que vi Clark Davis também me apaixonei, ele me lembrou muito Colin Firth.
O filme é baseado nos livros de Janette Oke, uma canadense que escreve romances cristãos. O filme tem nota 7,5 do IMDB que é uma nota muito boa para um filme desconhecido, esses filmes feitos somente para a TV. A série de livros chama-se "Love Comes Softly". 
Marty é vivenciada por Katherine Heigl, uma atriz que eu adoro por suas comédias românticas, exemplo Vestida para Casar.
Clark Davis é interpretado por Dale Midkiff e a linda filhinha Missie, pela atriz Skye McCole Bartusiak.

Quando eu assisto a um filme e gosto, vou atrás dos atores e fotos. Não encontrei nenhuma foto, então, depois vou fazer uns "prints" e colocar aqui.
E descobri algumas coincidências através das pesquisas.

1- Katherine Heigl: ela já está presente na minha vida pois iniciei a assistir Grey's Anatomy, uma série de TV (já com 12 temporadas) da qual ela faz parte interpretando uma das médicas residentes.
2 - Dale Midkiff: interpretou Louis Creed em Cemitério Maldito, filme baseado no livro O Cemitério de Stephen King e eu estou relendo no momento.
Uma notícia triste:
3 - Skye McCole Bartusiak: a menininha Messie, hoje teria 25 anos, no entanto, ela faleceu em 2014 aos 21. Ela foi encontrada morta em sua cama, a causa da morte foi considerada acidental. Foi causada por uso de medicamentos, mas paira a dúvida se foi acidental ou suicídio pois ela estava bem depressiva por não conseguir papéis bons.
4 - Skye interpretou Susan Martin, filha do personagem Benjamin Martin, interpretado por Mel Gibson em O Patriota (2000). No roteiro original de O Patriota era para Gibson ter 6 filhos, mas em homenagem ao seu sétimo filho que nasceria na vida real, os produtores deram o sétimo filho na ficção também.

Os sete filhos de Mel Gibson em O Patriota:

  • Gabriel Martin: Heath Ledger
  • Thomas Martin: Gregory Smith
  • Margaret Martin: Mika Boorem
  • Susan Martin: Skye McCole Bartusiak
  • Nathan Martin: Trevor Morgan
  • Samuel Martin: Brejan Chafin
  • William Martin: Logan Lerman
Coincidências macabras de Hollywood:
 Heath Ledger e Skye McCole Bartusiak foram filhos de Mel Gibson em O Patriota, Heath faleceu em 2008 e Skye em 2014, além de serem irmão fictícios eles tiveram mais alguma coisa em comum: ambos morreram da mesma forma: overdose acidental de medicamentos. Pois é, mais uma triste coincidência macabra de Hollywood.
  

sexta-feira, 7 de abril de 2017

[SERIANDO] Norte e Sul, da BBC 2004


Eu já assisti a minisséries maravilhosas da BBC que são baseadas em livros. Assisti primeiro Orgulho e Preconceito com o estupendo Colin Firth no papel de Mr. Darcy baseado no livro de Jane Austen e assisti ao Jane Eyre baseado no livro homônimo de Charlote Brontë.
A série é bem fiel ao Orgulho e Preconceito e muito melhor que o filme de 2006 protagonizado por Keira Knightley. Não li Jane Eyre, mas creio que seja bem fiel também.
Mas hoje, vamos falar do fabuloso Norte e Sul.
Esse série não me era estranha pois muitas pessoas amantes dos romences de época, indicavam-no, porém, com o passar dos dias eu o esquecia e tudo bem.
Mas eu tenho meu Projeto Pessoal de ler as obras das irmãs Brontë e pesquisando sobre a vida delas gravei o nome de Elizabeth Gaskel como sendo a primeira biógrafa de Charlote Brontë.  Elas eram amigas íntimas, então, apesar de Elizabeth esconder o fato de Charlote ter-se interessado por um homem casado, acredita-se que o restante seja verdade.
Nem sei se essa biografia tem traduzida para o Português, mas já tenho muito interesse em ler.


O livro "NORTE E SUL", do original NORTH AND SOUTH  de Elizabeth Gaskell, é um romance que foi publicado em forma de livro pela primeira vez em 1855, sendo que já havia sido publicado inicialmente na revista literária “Household Words”, de propriedade de Charles Dickens, entre setembro de 1854 e janeiro de 1855 em 22 partes semanais. Conhecido inicialmente por “Margaret Hale”, teve alterado por pressão de seus editores para “North and South”, demonstrando melhor o tema geral do livro: o contraste existente entre o modo de vida da Inglaterra industrializada do norte e da Inglaterra rural e inocente do sul, em uma época fortemente marcada pela revolução industrial do século 19. Quando a história foi publicada como um livro em 1855, esta incluiu um prefácio afirmando que por causa das restrições do formato da revista, a autora foi incapaz de desenvolver a história como desejava e, deste modo, “várias passagens curtas foram inseridas, e vários novos capítulos adicionados”. O enredo do livro é um romance social que tenta demonstrar a vida e os conflitos existentes no norte industrializado dos meados do século 19, através das impressões de uma jovem nascida nas regiões rurais da Inglaterra. A heroína da história, Margaret Hale, é filha de um ministro religioso que se muda para a cidade fictícia de Milton, cujo modelo era a cidade de Manchester, onde Elizabeth Gaskell morou em companhia de seu marido. 


A época é a Revolução Industrial, há grandes fábricas na cidade, a deixanso sem cor, apenas cinzenta. Famílias inteiras trabalham nelas, inclusive crianças que já consigam realizar o manuseio com as máquinas.
Por algum motivo, o pai de Margaret acaba se mudando com sua família para a cidade industrial, abandonando toda a calmaria do campo onde ele era vigário. 
Ele passa a dar aulas e assim consegue sobreviver, apesar de não estar na pobreza, está longe de ser de boa classe.
Um dos seus alunos particulares é o Mr. John Thornton, dono de uma das fábricas mais ricas da cidade, jovem e bonito mas também rude e esnobe.
O primeiro encontro entre ele e Margaret é terrível. Ele está espancando e demitindo um homem por ele estar fumando em local e horário de trabalho, e Margaret aterrorizada vai em salvação do trabalhador, mas  John acaba ficando com raiva dela e a expulsando também. 
Sendo o pai da moça, um amigo de John, o caminho deles se encontram algumas vezes mais. Percebemos o interesse dele por ela, mas ela não concorda com o trabalho quase escravo dos empregados e acabam sempre discutindo.
Em contra partida, Margaret faz amizades com os trabalhadores locais, em especial com Nicholas Higgins e sua filha Bessy. Bessy e Margaret aparentam ter a mesma idade mas a primeira apesar de estar debilitada (provavelmente com tuberculose) continuava trabalhando para o sustento da família.
Além da tensão entre o casal central, vemos o amadurecimento da própria Margaret vivenciando a pobreza dos amigos e fazendo as tarefas domésticas já que não tinham dinheiro para uma empregada.
Outro ponto muito importante é um assunto tão antigo mas tão atual: o início de sindicatos, o apoio mútuo entre os trabalhadores e a união para a greve. Momentos ótimos sobre esses assuntos.
Norte e Sul é um romance completo. Fiquei tão viciada que precisava assistir todos os episódios e assim dormi 2:30 da manhã quando eu tinha que acordar as 5:00h.
Vale a pena assistir.





Assista online com legenda em português, completo em 4 partes:

Episódio 1      Episódio 2      Episódio 3      Episódio 4

domingo, 11 de setembro de 2016

Falando sobre livros: Quantidade é Qualidade?

O que é importante pra você? 
Qualidade do livro ou quantidade em sua prateleira?
É muito comum considerarmos que quantidade é qualidade, mas será que é isso mesmo? 
Quase todo amante da leitura tem como sonho ter uma biblioteca em casa, e que forma mais fácil de realizar esse sonho do que comprar livros em ofertas? Quantos livros de R$ 9,90 que você comprou naquela promoção do site você realmente queria? Ou você chegou a ler? Digo isso por experiência própria; às vezes você precisa comprar mais um livro só para ter frete grátis e você quer esse livro? Será um a mais para chegar à quantidade de 200, 300, 500 livros?
Como você iniciou sua coleção? É comum recebermos de membros da família livros que eles não querem mais, porém vão deixar nossa estante muito feliz! 
Mas você já folheou esses livros? Já leu a sinopse? Percebeu se vai gostar da leitura? Reparou na diagramação? Às vezes as letras desses livros são tão pequenas que você já sabe que não vai ler, afinal, vai dar uma bela dor de cabeça!
Acho importante  ter e ler quantos livros você conseguir e dessa forma vai poder escolher seu gênero literário preferido, mas e quando chegar aquele momento que você olhar para um livro e perceber que nunca vai lê-lo, o que fazer nessa situação? Quer uma dica? Que tal desapegar? 
Para muitas pessoas, só a menção dessa frase vai doer, mas se você está sem espaço, já percebeu que quantidade não é qualidade, por que não? 
Têm muitas pessoas que já estão fazendo isso nesse mundo literário, trocas no Skoob são muito válidas e também em outras redes sociais. Algumas pessoas (cito a Tati Feltrin) estão vendendo no Youtube seus livros que não pretendem reler, por um valor simbólico, que seria apenas para pagar o frete dos Correios. 
A Jota Plutz também, está desapegando geral! Isso é muito importante, afinal essas pessoas são exemplos para tantas outras.
Mas e você, Thais? Anda desapegando? 
Na realidade, ainda não. Eu fiz apenas uma troca no Skoob e acho até que me arrependi dela, pois troquei por um livro da modinha rsrs. Ainda não tenho problema com espaço, mas estou quase lá. Porém já não fico procurando promoções em sites e nem compro mais só porque vejo que está barato.
Ler tem que ser um prazer, não importa quantos livros você tem na sua estante. Bibliotecas públicas servem para isso, vasculhar as prateleiras e encontrar um livro que você quer ler é muito bom. Há livros esgotados que você não vai conseguir comprar, mas nem por isso, será tirado de ti, o prazer de ler! 
Encontre o seu meio de se adequar à sua rotina e seja FELIZ!! 

domingo, 7 de setembro de 2014

OS DELÍRIOS DE CONSUMO DE BECKY BLOOM, de Sophie Kinsella


Em primeiro lugar, eu adoro essa capa!

Este é um dos poucos livros que eu fiz o inverso, ou seja, assisti antes ao filme e depois li ao livro.

O filme virou um dos meus favoritos, é muito divertido; me identifiquei bastante com a protagonista (o fato de ser atrapalhada e não o de ser consumista), enfim, Becky Bloom tem uma grande sequência de livros e dizem que são muito interessantes, por enquanto, eu só tenho o primeiro, o meu é em versão pocket porque os livros dessa série e creio que da Sophie Kinsella em geral, são muito caros.

Falando do livro, ele é bem diferente do filme, a Becky é totalmente atrapalhada (igual), desinteressada por finanças (igual), divertida (igual), enfim... a essência é a mesma, porém mudam as situações.

Quando comecei a lê-lo tive que me controlar muito para não rir em local público, como no metrô, pois as cenas são hilárias, mas depois a leitura se tornou cansativa e eu fiquei bem triste com o livro, perdeu o encanto. Creio que deve-se às comparações que eu fazia com o filme, têm muitas cenas que eu gostei muito, mas no livro não acontece, então... frustração!

Pensei em desistir de lê-lo, mas continuei, afinal tenho muitos livros na minha estante esperando para serem estreiados e é sacanagem menosprezar nosso lindos livrinhos.

Retornando: Becky Bloom que adora comprar roupas, maquiagens, cosméticos, hidratantes e tantas outras coisas se endividou demais. Começaram a chegar cobranças (as cartas ela jogava numa gaveta sem abrir, ou jogava em caçambas na rua), os cartões de crédito começaram a ser bloqueados. Tudo estava de mal a pior para Becky, até que finalmente, o livro se torna interessantíssimo quando ela chega ao fundo do poço, aconselhando amigos de forma errada e fazendo com que eles percam dinheiro.

Becky recupera suas energias por uma causa e vai até o fim para tentar ajudar seus amigos.

Percebi muitas situações engraçadas que deixaram fora do filme e deixaram o livro encantador.

Vale a pena ler, eu recomendo!

E vale a pena ver o filme também.


Nota: é meu primeiro chick-lit (livro para mulheres) que leio inteiro. Vou interagir mais com esses livros!


Nota:



terça-feira, 6 de maio de 2014

[Resenha] DESEJO À MEIA-NOITE- OS HATHAWAYS, Lisa Kleypas

Sinopse - Desejo à Meia-Noite - Os Hathaways - Livro 01 - Lisa Kleypas

Após sofrer uma decepção amorosa, Amelia Hathaway perdeu as esperanças de se casar. Desde a morte dos pais, ela se dedica exclusivamente a cuidar dos quatro irmãos – uma tarefa nada fácil, sobretudo porque Leo, o mais velho, anda desperdiçando dinheiro com mulheres, jogos e bebida. Certa noite, quando sai em busca de Leo pelos redutos boêmios de Londres, Amelia conhece Cam Rohan. Meio cigano, meio irlandês, Rohan é um homem difícil de se definir e, embora tenha ficado muito rico, nunca se acostumou com a vida na sociedade londrina. Apesar de não conseguirem esconder a imediata atração que sentem, Rohan e Amelia ficam aliviados com a perspectiva de nunca mais se encontrarem. Mas parece que o destino já traçou outros planos.
Quando se muda com a família para a propriedade recém-herdada em Hampshire, Amelia acredita que esse pode ser o início de uma vida melhor para os Hathaways. Mas não faz ideia de quantas dificuldades estão a sua espera. E a maior delas é o reencontro com o sedutor Rohan, que parece determinado a ajudá-la a resolver seus problemas. Agora a independente Amelia se verá dividida entre o orgulho e seus sentimentos.
Será que Rohan, um cigano que preza sua liberdade acima de tudo, estará disposto a abrir mão de suas raízes e se curvar à maior instituição de todos os tempos: o casamento?



Primeiro de tudo: olhe essa capa!
Olhou? Então, olhe de novo: ela é linda! Sem dúvida é um livro que já compraríamos só pela capa.
Esse vestido azul glamouroso, esse monte de saias... nos faz lembrar... sim, é um livro histórico.
A Editora Arqueiro acertou super bem trazendo essa série para o Brasil. Há muitas pessoas que curtem romance histórico e eu sou uma delas.
A sinopse oficial está aí em cima.

Amélia é a protagonista desse livro que nos inicia apresentando à árvore genealógica da família Hathaway. Ou seja, essa é mais uma daquelas sacanagens de autores para comprarmos livros e livros pois todos têm ligações um com o outro, por serem da mesma família.
Como gostei dessa família, não me importei!
Os pais deles já estão mortos e eles passam por dificuldades financeiras, até que Leo, o irmão mais velho herda o título de lorde Ramsay e com ele uma casa colonial no interior da Inglaterra e uma renda anual. Mas Leo está interessado em gastar o dinheiro apenas com bebida e mulheres e Amelia incumbiu-se de não deixá-lo arruinar e levar as chances de bom casamento das irmãs junto.
No início do livro, Amélia sai a procura dele com a ajuda do "irmão-adotado", o cigano Merripen. E na procura, esbarraram com outro cigano, o lindo e sedutor Cam Rohan.
Para os ciganos, não é motivo de orgulho viver com os brancos, trabalhar com eles e receber salário por isso. Mas Cam foi abandonado em Londres quando menino e teve que se virar para sobreviver. Virou um homem muito respeitado, mas a sociedade londrina ainda consideravam ciganos a escória da sociedade. 
Cam e Amelia sentem uma chama de imediato, e depois que ele a ajuda a encontrar seu irmão (apesar de Amelia recusar pois não gostava e nem estava acostumada a depender de ninguém) os dois rompem num beijo estrondoso que os deixa sem ar. E os dois pretendem nunca mais se ver.
Amelia, uma solteirona convicta, já teve o coração partido anteriormente e sabia que não ia deixar-se apaixonar novamente, mas não conseguia deixar de pensar naquele cigano e Rohan não sabia o que deu nele para beijar uma gadje (não cigana) recatada, mas ele se interessou muito por aquela irmã brigona.
O reencontro deles é bem engraçado, com Amelia suja e caída no chão. Ela é apresentada a seu vizinho rico e convidada para comparecer `a festas. Mesmo sentindo-se mal por todos estarem mal vestidos e não saberem nada sobre etiqueta, resolvem ir.
O casal vai se aproximando até que em um determinado momento eles não resistem. Porém ambos sabem que não será nada sério: Rohan, quer abandonar a vida com os gadje e procurar sua tribo e Amélia só quer cuidar da família. 
Julia Kleypas me fez sentir um pouco do Universo de Jane Austen sim. Com  a família grande, as confusões, os conflitos com a sociedade, Rohan sendo justo quando deve ser. O casal é carismático, a história flui bem, temos a irmã mais nova, Beatrix, engraçadíssima, a irmã do meio Win, quase uma inválida depois de adoecer de escarlatina, a doçura loira dela com a vitalidade morena de Amelia me lembrou muito as duas irmãs mais velhas de Orgulho e Preconceito.
Recomendo esse livro, que nos faz entender um pouquinho da chatice de Leo e já nos apresenta ao romance do próximo livro.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

[Vídeo] Mimos #01

Oi Pessoal, e quem aí não gosta de uns mimos?
Eu adoro!!!!!!
Esse vídeo está de recheado de pôsteres, marcadores e bonecos!!!!
Nele, eu mostro o que ganhei em sorteios da Sora, do blog Meu Jardim de Livros e outras coisitas.
Vamos ver?



quinta-feira, 20 de março de 2014

Eu sou sortuda!!!!

Bom dia galera linda!!!
Estou aqui para falar que eu fui sorteada na Promoção Relâmpago para ganhar vários pôsteres de livros da Novo Conceito. Foi no blog da Sora, Meu Jardim de Livros.

Final do ano eu também fui contemplada pelo blog dela e ganhei marcadores lindos!!!! Adoro mimos!
Estou sentindo que esse é o ano do Blog!!! ok
Assim que eu recebê-los faço um vídeo mostrando-os, ok?



Bom demais, né?

Gravei a pouco tempo um vídeo com Minhas Leituras de Fevereiro, amanhã ele estará no ar!
Beijinhos lindos!