domingo, 16 de abril de 2017

[Livro que virou Filme] O Amor vem Devagar

Olá!
Hoje eu fui a louca que acordou as 4:30h da manhã e foi pra sala pra chamar o sono. E ele veio? Não! Ele não veio!
Então eu fiz duas coisas: mexi no Youtube e assisti a um filme (no próprio Youtube!).
Agora que parei para escrever, percebi que hoje é Páscoa, então: FELIZ PÁSCOA!!!!! O que é interessante, pois o filme que assisti é considerado um filme cristão. É um romance baseado na construção do amor no dia a dia, fala-se sobre fé em Deus, como aguentar os problemas da vida. É aquele filme que você pode assistir tranquilo com a família e crianças, pois não há cenas picantes. Dose certa de drama, romance e humor.
A história inicia com o casal Aaron e Marty Claridge mudando de cidade para iniciar uma nova vida, afinal são recém casados. O ano é 1800, na época do Velho Oeste. Eles estão felizes e em um acidente de cavalo, Aaron acaba morrendo.
Marty se vê sozinha e deve tomar uma decisão do que fazer de sua vida. No enterro de seu marido aparece Clark Davis, um morador local que lhe propõe casamento. Ele é um viúvo com uma filha pequena, chamada Missie já uma garotinha bem madura para a idade. Clark quer que a filha tenha uma influência feminina e promete a ela que dali a exatamente um ano - no início da próxima primavera - ele compra uma passagem para ela voltar a sua terra. E assim inicia-se a história deles. Missie e Marty não se dão bem. Clark respeita Marty e os três começam a ter suas cicatrizes curadas.
Marty é apaixonante. Ela faz o primeiro marido levar na carroça todos os livros dela. São inúmeros! Eles têm mais livros do que comida. rs
A primeira vez que vi Clark Davis também me apaixonei, ele me lembrou muito Colin Firth.
O filme é baseado nos livros de Janette Oke, uma canadense que escreve romances cristãos. O filme tem nota 7,5 do IMDB que é uma nota muito boa para um filme desconhecido, esses filmes feitos somente para a TV. A série de livros chama-se "Love Comes Softly". 
Marty é vivenciada por Katherine Heigl, uma atriz que eu adoro por suas comédias românticas, exemplo Vestida para Casar.
Clark Davis é interpretado por Dale Midkiff e a linda filhinha Missie, pela atriz Skye McCole Bartusiak.

Quando eu assisto a um filme e gosto, vou atrás dos atores e fotos. Não encontrei nenhuma foto, então, depois vou fazer uns "prints" e colocar aqui.
E descobri algumas coincidências através das pesquisas.

1- Katherine Heigl: ela já está presente na minha vida pois iniciei a assistir Grey's Anatomy, uma série de TV (já com 12 temporadas) da qual ela faz parte interpretando uma das médicas residentes.
2 - Dale Midkiff: interpretou Louis Creed em Cemitério Maldito, filme baseado no livro O Cemitério de Stephen King e eu estou relendo no momento.
Uma notícia triste:
3 - Skye McCole Bartusiak: a menininha Messie, hoje teria 25 anos, no entanto, ela faleceu em 2014 aos 21. Ela foi encontrada morta em sua cama, a causa da morte foi considerada acidental. Foi causada por uso de medicamentos, mas paira a dúvida se foi acidental ou suicídio pois ela estava bem depressiva por não conseguir papéis bons.
4 - Skye interpretou Susan Martin, filha do personagem Benjamin Martin, interpretado por Mel Gibson em O Patriota (2000). No roteiro original de O Patriota era para Gibson ter 6 filhos, mas em homenagem ao seu sétimo filho que nasceria na vida real, os produtores deram o sétimo filho na ficção também.

Os sete filhos de Mel Gibson em O Patriota:

  • Gabriel Martin: Heath Ledger
  • Thomas Martin: Gregory Smith
  • Margaret Martin: Mika Boorem
  • Susan Martin: Skye McCole Bartusiak
  • Nathan Martin: Trevor Morgan
  • Samuel Martin: Brejan Chafin
  • William Martin: Logan Lerman
Coincidências macabras de Hollywood:
 Heath Ledger e Skye McCole Bartusiak foram filhos de Mel Gibson em O Patriota, Heath faleceu em 2008 e Skye em 2014, além de serem irmão fictícios eles tiveram mais alguma coisa em comum: ambos morreram da mesma forma: overdose acidental de medicamentos. Pois é, mais uma triste coincidência macabra de Hollywood.
  

sexta-feira, 7 de abril de 2017

[SERIANDO] Norte e Sul, da BBC 2004


Eu já assisti a minisséries maravilhosas da BBC que são baseadas em livros. Assisti primeiro Orgulho e Preconceito com o estupendo Colin Firth no papel de Mr. Darcy baseado no livro de Jane Austen e assisti ao Jane Eyre baseado no livro homônimo de Charlote Brontë.
A série é bem fiel ao Orgulho e Preconceito e muito melhor que o filme de 2006 protagonizado por Keira Knightley. Não li Jane Eyre, mas creio que seja bem fiel também.
Mas hoje, vamos falar do fabuloso Norte e Sul.
Esse série não me era estranha pois muitas pessoas amantes dos romences de época, indicavam-no, porém, com o passar dos dias eu o esquecia e tudo bem.
Mas eu tenho meu Projeto Pessoal de ler as obras das irmãs Brontë e pesquisando sobre a vida delas gravei o nome de Elizabeth Gaskel como sendo a primeira biógrafa de Charlote Brontë.  Elas eram amigas íntimas, então, apesar de Elizabeth esconder o fato de Charlote ter-se interessado por um homem casado, acredita-se que o restante seja verdade.
Nem sei se essa biografia tem traduzida para o Português, mas já tenho muito interesse em ler.


O livro "NORTE E SUL", do original NORTH AND SOUTH  de Elizabeth Gaskell, é um romance que foi publicado em forma de livro pela primeira vez em 1855, sendo que já havia sido publicado inicialmente na revista literária “Household Words”, de propriedade de Charles Dickens, entre setembro de 1854 e janeiro de 1855 em 22 partes semanais. Conhecido inicialmente por “Margaret Hale”, teve alterado por pressão de seus editores para “North and South”, demonstrando melhor o tema geral do livro: o contraste existente entre o modo de vida da Inglaterra industrializada do norte e da Inglaterra rural e inocente do sul, em uma época fortemente marcada pela revolução industrial do século 19. Quando a história foi publicada como um livro em 1855, esta incluiu um prefácio afirmando que por causa das restrições do formato da revista, a autora foi incapaz de desenvolver a história como desejava e, deste modo, “várias passagens curtas foram inseridas, e vários novos capítulos adicionados”. O enredo do livro é um romance social que tenta demonstrar a vida e os conflitos existentes no norte industrializado dos meados do século 19, através das impressões de uma jovem nascida nas regiões rurais da Inglaterra. A heroína da história, Margaret Hale, é filha de um ministro religioso que se muda para a cidade fictícia de Milton, cujo modelo era a cidade de Manchester, onde Elizabeth Gaskell morou em companhia de seu marido. 


A época é a Revolução Industrial, há grandes fábricas na cidade, a deixanso sem cor, apenas cinzenta. Famílias inteiras trabalham nelas, inclusive crianças que já consigam realizar o manuseio com as máquinas.
Por algum motivo, o pai de Margaret acaba se mudando com sua família para a cidade industrial, abandonando toda a calmaria do campo onde ele era vigário. 
Ele passa a dar aulas e assim consegue sobreviver, apesar de não estar na pobreza, está longe de ser de boa classe.
Um dos seus alunos particulares é o Mr. John Thornton, dono de uma das fábricas mais ricas da cidade, jovem e bonito mas também rude e esnobe.
O primeiro encontro entre ele e Margaret é terrível. Ele está espancando e demitindo um homem por ele estar fumando em local e horário de trabalho, e Margaret aterrorizada vai em salvação do trabalhador, mas  John acaba ficando com raiva dela e a expulsando também. 
Sendo o pai da moça, um amigo de John, o caminho deles se encontram algumas vezes mais. Percebemos o interesse dele por ela, mas ela não concorda com o trabalho quase escravo dos empregados e acabam sempre discutindo.
Em contra partida, Margaret faz amizades com os trabalhadores locais, em especial com Nicholas Higgins e sua filha Bessy. Bessy e Margaret aparentam ter a mesma idade mas a primeira apesar de estar debilitada (provavelmente com tuberculose) continuava trabalhando para o sustento da família.
Além da tensão entre o casal central, vemos o amadurecimento da própria Margaret vivenciando a pobreza dos amigos e fazendo as tarefas domésticas já que não tinham dinheiro para uma empregada.
Outro ponto muito importante é um assunto tão antigo mas tão atual: o início de sindicatos, o apoio mútuo entre os trabalhadores e a união para a greve. Momentos ótimos sobre esses assuntos.
Norte e Sul é um romance completo. Fiquei tão viciada que precisava assistir todos os episódios e assim dormi 2:30 da manhã quando eu tinha que acordar as 5:00h.
Vale a pena assistir.





Assista online com legenda em português, completo em 4 partes:

Episódio 1      Episódio 2      Episódio 3      Episódio 4