terça-feira, 6 de maio de 2014

[Resenha] DESEJO À MEIA-NOITE- OS HATHAWAYS, Lisa Kleypas

Sinopse - Desejo à Meia-Noite - Os Hathaways - Livro 01 - Lisa Kleypas

Após sofrer uma decepção amorosa, Amelia Hathaway perdeu as esperanças de se casar. Desde a morte dos pais, ela se dedica exclusivamente a cuidar dos quatro irmãos – uma tarefa nada fácil, sobretudo porque Leo, o mais velho, anda desperdiçando dinheiro com mulheres, jogos e bebida. Certa noite, quando sai em busca de Leo pelos redutos boêmios de Londres, Amelia conhece Cam Rohan. Meio cigano, meio irlandês, Rohan é um homem difícil de se definir e, embora tenha ficado muito rico, nunca se acostumou com a vida na sociedade londrina. Apesar de não conseguirem esconder a imediata atração que sentem, Rohan e Amelia ficam aliviados com a perspectiva de nunca mais se encontrarem. Mas parece que o destino já traçou outros planos.
Quando se muda com a família para a propriedade recém-herdada em Hampshire, Amelia acredita que esse pode ser o início de uma vida melhor para os Hathaways. Mas não faz ideia de quantas dificuldades estão a sua espera. E a maior delas é o reencontro com o sedutor Rohan, que parece determinado a ajudá-la a resolver seus problemas. Agora a independente Amelia se verá dividida entre o orgulho e seus sentimentos.
Será que Rohan, um cigano que preza sua liberdade acima de tudo, estará disposto a abrir mão de suas raízes e se curvar à maior instituição de todos os tempos: o casamento?



Primeiro de tudo: olhe essa capa!
Olhou? Então, olhe de novo: ela é linda! Sem dúvida é um livro que já compraríamos só pela capa.
Esse vestido azul glamouroso, esse monte de saias... nos faz lembrar... sim, é um livro histórico.
A Editora Arqueiro acertou super bem trazendo essa série para o Brasil. Há muitas pessoas que curtem romance histórico e eu sou uma delas.
A sinopse oficial está aí em cima.

Amélia é a protagonista desse livro que nos inicia apresentando à árvore genealógica da família Hathaway. Ou seja, essa é mais uma daquelas sacanagens de autores para comprarmos livros e livros pois todos têm ligações um com o outro, por serem da mesma família.
Como gostei dessa família, não me importei!
Os pais deles já estão mortos e eles passam por dificuldades financeiras, até que Leo, o irmão mais velho herda o título de lorde Ramsay e com ele uma casa colonial no interior da Inglaterra e uma renda anual. Mas Leo está interessado em gastar o dinheiro apenas com bebida e mulheres e Amelia incumbiu-se de não deixá-lo arruinar e levar as chances de bom casamento das irmãs junto.
No início do livro, Amélia sai a procura dele com a ajuda do "irmão-adotado", o cigano Merripen. E na procura, esbarraram com outro cigano, o lindo e sedutor Cam Rohan.
Para os ciganos, não é motivo de orgulho viver com os brancos, trabalhar com eles e receber salário por isso. Mas Cam foi abandonado em Londres quando menino e teve que se virar para sobreviver. Virou um homem muito respeitado, mas a sociedade londrina ainda consideravam ciganos a escória da sociedade. 
Cam e Amelia sentem uma chama de imediato, e depois que ele a ajuda a encontrar seu irmão (apesar de Amelia recusar pois não gostava e nem estava acostumada a depender de ninguém) os dois rompem num beijo estrondoso que os deixa sem ar. E os dois pretendem nunca mais se ver.
Amelia, uma solteirona convicta, já teve o coração partido anteriormente e sabia que não ia deixar-se apaixonar novamente, mas não conseguia deixar de pensar naquele cigano e Rohan não sabia o que deu nele para beijar uma gadje (não cigana) recatada, mas ele se interessou muito por aquela irmã brigona.
O reencontro deles é bem engraçado, com Amelia suja e caída no chão. Ela é apresentada a seu vizinho rico e convidada para comparecer `a festas. Mesmo sentindo-se mal por todos estarem mal vestidos e não saberem nada sobre etiqueta, resolvem ir.
O casal vai se aproximando até que em um determinado momento eles não resistem. Porém ambos sabem que não será nada sério: Rohan, quer abandonar a vida com os gadje e procurar sua tribo e Amélia só quer cuidar da família. 
Julia Kleypas me fez sentir um pouco do Universo de Jane Austen sim. Com  a família grande, as confusões, os conflitos com a sociedade, Rohan sendo justo quando deve ser. O casal é carismático, a história flui bem, temos a irmã mais nova, Beatrix, engraçadíssima, a irmã do meio Win, quase uma inválida depois de adoecer de escarlatina, a doçura loira dela com a vitalidade morena de Amelia me lembrou muito as duas irmãs mais velhas de Orgulho e Preconceito.
Recomendo esse livro, que nos faz entender um pouquinho da chatice de Leo e já nos apresenta ao romance do próximo livro.