domingo, 7 de setembro de 2014

OS DELÍRIOS DE CONSUMO DE BECKY BLOOM, de Sophie Kinsella


Em primeiro lugar, eu adoro essa capa!

Este é um dos poucos livros que eu fiz o inverso, ou seja, assisti antes ao filme e depois li ao livro.

O filme virou um dos meus favoritos, é muito divertido; me identifiquei bastante com a protagonista (o fato de ser atrapalhada e não o de ser consumista), enfim, Becky Bloom tem uma grande sequência de livros e dizem que são muito interessantes, por enquanto, eu só tenho o primeiro, o meu é em versão pocket porque os livros dessa série e creio que da Sophie Kinsella em geral, são muito caros.

Falando do livro, ele é bem diferente do filme, a Becky é totalmente atrapalhada (igual), desinteressada por finanças (igual), divertida (igual), enfim... a essência é a mesma, porém mudam as situações.

Quando comecei a lê-lo tive que me controlar muito para não rir em local público, como no metrô, pois as cenas são hilárias, mas depois a leitura se tornou cansativa e eu fiquei bem triste com o livro, perdeu o encanto. Creio que deve-se às comparações que eu fazia com o filme, têm muitas cenas que eu gostei muito, mas no livro não acontece, então... frustração!

Pensei em desistir de lê-lo, mas continuei, afinal tenho muitos livros na minha estante esperando para serem estreiados e é sacanagem menosprezar nosso lindos livrinhos.

Retornando: Becky Bloom que adora comprar roupas, maquiagens, cosméticos, hidratantes e tantas outras coisas se endividou demais. Começaram a chegar cobranças (as cartas ela jogava numa gaveta sem abrir, ou jogava em caçambas na rua), os cartões de crédito começaram a ser bloqueados. Tudo estava de mal a pior para Becky, até que finalmente, o livro se torna interessantíssimo quando ela chega ao fundo do poço, aconselhando amigos de forma errada e fazendo com que eles percam dinheiro.

Becky recupera suas energias por uma causa e vai até o fim para tentar ajudar seus amigos.

Percebi muitas situações engraçadas que deixaram fora do filme e deixaram o livro encantador.

Vale a pena ler, eu recomendo!

E vale a pena ver o filme também.


Nota: é meu primeiro chick-lit (livro para mulheres) que leio inteiro. Vou interagir mais com esses livros!


Nota: